BNDES reabre programa de crédito para MEI e MPMEs a partir desta segunda-feira;

O Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) reabriu hoje (22), o Programa Emergencial de Acesso a Crédito (FGI PEAC), um fundo de garantia que amplia o acesso ao crédito para Microempreendedor Individual (MEI) , micro, pequenas e médias empresas (MPMEs).

Nesta edição, a novidade é a inclusão de MEIs e microempresas dentre os beneficiários. Segundo o banco, até o momento, 40 instituições financeiras se habilitaram para operar com a linha de crédito.

Para que uma operação de crédito seja elegível à garantia pelo FGI PEAC, ela deve ser destinada a investimento ou capital de giro, de valor entre R$ 1.000 e R$ 10 milhões, ter prazo de pagamento de até 60 meses e carência entre 6 e 12 meses. 

A cobertura estabelecida pelo programa é de 80% do valor do contrato.

A avaliação quanto ao uso do FGI PEAC como garantia em operações de crédito é de responsabilidade dos bancos operadores. Cada um deles deverá limitar a taxa de juros média de sua carteira a 1,75% ao mês.

Com essas condições, estima-se que outros R$ 22 bilhões sejam viabilizados em novas operações de crédito para MPMEs até dezembro de 2023.

De acordo com o BNDES, o objetivo de priorizar fundos garantidores para MEIs e MPMEs é estimular o mercado financeiro brasileiro a operar com este segmento.

Para o banco, ao conceder garantias para quem fatura até R$ 300 milhões ao ano, o FGI PEAC aumenta o interesse dos bancos em conceder crédito com condições mais favoráveis aos clientes.

 

Fonte: Contábeis com informações da CNN Business